quinta-feira, 1 de maio de 2008

Mais um lamento



Por essa estrada que a ti pertence

Cada sinal, mas forte estou

Te imaginando ao lado meu

A saudade

Que graça tem esse tormento que invade

Me maltratando o coração, uma voz

Tá difícil esperar

Pra que

Tanta espera, esse aperto

Venha me trazer teu beijo

Eu to pensando em você

Repare bem

Cada minuto é importante demais

Uma fração, mais um segundo se vai

E o teu abraço aonde está

Inconseqüente

Te procurei pela cidade e gritei (eu gri-tei)

Imaginando que iria escutar

Uma reposta ao meu lamento

Pra que

Tanta espera, esse aperto

Venha me trazer teu beijo


(Eu to pensando em você - Wilson Simoninha)

Um comentário:

Carmen Oliveira Lima disse...

AMIGA CARMEN
(com N no final.........)

entre a estupidez da felicidade
e a atrocidade da depressão
existe um tempo, que é amante
que é amador, que é ilusão.

é um tempo doce de castidade,
é tranquilo, é reflexão
É alma na sua maioridade
É a pele em oração.
É o mastro da dignidade.

Esse tempo, amante amador,
semideus da vida de uma vênus,
Viaja do vazio ao amor,
Navegando com maestria
entre as quentes noites de blues,
e os mais belos dias de poesia.

Comentário enviado pelo amigo Humberto Neto